Quantas vezes você já notou uma queda no desempenho do time e procurou entender a razão? Possivelmente, a rotatividade é uma das explicações. Entenda o real peso do turnover em bares e restaurantes e saiba como estruturar um processo de seleção e retenção mais claro.

Na administração de uma empresa do setor alimentício, os desafios de um gestor são muitos. Além do planejamento e da execução da estratégia, é preciso se manter atento ao desempenho do time.

Afinal, será que os profissionais estão, de fato, satisfeitos, entregando os serviços e produtos com a qualidade que o seu cliente merece? Essa é uma das questões que uma consultoria organizacional pode ajudar você a acompanhar! 

Isso porque, tanto para o estabelecimento, quanto para os funcionários, é importante ter um time motivado, que seja capaz de fazer sempre melhor e busque surpreender as pessoas.

Por exemplo, quando um cliente chega no seu restaurante, é chamado pelo nome e o garçom, de imediato, já solicita o prato preferido dele, você oferece um diferencial de peso: excelência no atendimento! 

Consequentemente, esse tipo de cuidado leva à conquista e à retenção de clientes. Contudo, para tudo isso ser possível ter as pessoas certas na frente de trabalho é fundamental.

Daí a importância de construir um processo de recrutamento e seleção claro, com etapas bem definidas e estruturadas, com a orientação de uma consultoria em RH. Desse modo, torna-se muito mais fácil ser assertivo na contratação de profissionais para o seu time, selecionando somente aqueles que se encaixam na cultura da empresa.

Quer entender como construir um processo de recrutamento e seleção claro, minimizando a rotatividade de talentos no seu bar ou restaurante? Avance na leitura desse texto!

1. Os prejuízos e o alto custo da rotatividade em bares e restaurantes

Quando o turnover de profissionais passa a fazer parte do dia a dia de um estabelecimento comercial ele pode até parecer inofensivo. Afinal, o gestor aprende a lidar com a rotatividade e com os processos que ela exige: demissão, contratação, admissão e custos.

Todavia, o fato é que à medida que os funcionários deixam a empresa e outros assumem o cargo, o bar ou restaurante acumula uma série de prejuízos. Veja, a seguir, alguns deles:

1 – Aumento de gastos: quando um funcionário pede desligamento da sua empresa, você precisa arcar com o acerto de contas, que inclui o pagamento referente ao:

  • Período trabalhado naquele mês; 
  • Aviso prévio e aviso prévio especial para aqueles que já atuam há mais de um ano na empresa; 
  • Período de férias vencidas e proporcionais; 
  • Abono constitucional de 1/3 sobre esses benefícios e 13º salário proporcional. 

Ou seja, os gastos são muitos e não param por aí. Na sequência, a empresa ainda investe no processo de seleção, nos treinamentos e na compra de materiais necessários como uniformes e equipamentos individuais de trabalho.

2. Perda de capital intelectual: se um chef de cozinha domina o cardápio de um restaurante como ninguém ou, então, se você investiu em um garçom, que hoje é barman e faz os melhores drinks do bar, só o fato de pensar em não tê-los no time, possivelmente, já deixa o gestor preocupado.

Afinal, o desligamento de um deles representa uma perda técnica e produtiva, que muito provavelmente irá impactar na qualidade do serviço oferecido. Além disso, é preciso calcular a perda financeira do que já havia sido investido nesse funcionário e do valor que será preciso para treinar aquele que irá substituí-lo.

3. Queda de produtividade: ao começar o processo de seleção de um novo funcionário, você precisa ter em mente que, em um primeiro momento, ele não terá a mesma habilidade que um garçom experiente com a bandeja, por exemplo. Ou seja, além de se dedicar a um processo de recrutamento e seleção, o gestor deve estar ciente que o novo colaborador precisará de um tempo de adaptação ao novo trabalho.

Desse modo, nesse período de adaptação, nem sempre ele terá o melhor desempenho. A performance de um ou mais funcionários novos impacta diretamente na dinâmica de entregas e na produtividade do estabelecimento, podendo prejudicar, inclusive, seus resultados e lucros.

Considerando esses fatores e sabendo que existem outros não elencados aqui, você já tem noção do quanto a rotatividade de funcionários no seu bar ou restaurante pode ser prejudicial para o crescimento do seu negócio.

Portanto, vale a pena se manter atento aos feedbacks dos colaboradores e, acima de tudo, tê-los sempre como parceiros. Afinal, são eles que fazem a mágica acontecer e têm em mãos o poder de conquistar e fidelizar os clientes! 

2. Como o processo de recrutamento e seleção pode ajudar a diminuir a rotatividade?

Para evitar dores de cabeça e prejuízos com a rotatividade de profissionais, o ideal é priorizar a definição de processo de contratação eficiente, que seja capaz de mapear o profissional com o perfil ideal para a vaga aberta.

Uma das melhores alternativas é optar por uma consultoria em RH especializada, que tenha ampla experiência na área, como a BWA Global Consulting.  Assim, você se preocupa com a gestão do seu bar, enquanto os especialistas no assunto garantem que todas as etapas do processo de recrutamento e seleção sejam cumpridas à risca.

Dessa maneira, é possível assegurar uma contratação muito mais eficiente e, claro, uma retenção igualmente maior. Afinal, quando você conta com as pessoas certas no cargo certo, os clientes também sentem o impacto dessa compatibilidade do perfil com a vaga que o profissional ocupa.

Ao chegar em um restaurante não tem nada melhor do que ser recebido por um garçom simpático, que domina o atendimento e o faz com gentileza e sorriso no rosto, não é mesmo? Esse é o profissional que colabora para a fidelização do cliente. De acordo com dados da NewVoice, após uma experiência de atendimento positiva, 69% dos consumidores recomendariam a empresa para amigos.

Contudo, o inverso também é verdadeiro. Se o mesmo profissional presta um atendimento péssimo, possivelmente, o cliente não voltará, e mais do que isso: pode afastar outros potenciais clientes. Segundo números da Glace, seriam necessárias 12 experiências positivas para compensar uma experiência negativa. Inviável, não é mesmo? Melhor ter um time pronto para fidelizar o cliente sempre!

3. Investir na retenção de talentos também é preciso

Neste cenário, então, o ideal é revisar a estratégia de contratação e retenção de pessoas, para torná-la mais assertiva e eficaz. 

Ao contar com a orientação de uma consultoria organizacional, você ganha condições de estruturar um processo de recrutamento e seleção, bem como de retenção, muito mais consistente.

Em um mercado altamente competitivo, manter os melhores talentos no seu time é desafiador, mas perfeitamente possível. Para reter, é fundamental:

  1. Saber como engajar e motivar os colaboradores;
  2. Elaborar planos de cargos e carreiras;
  3. Garantir uma comunicação organizacional clara;
  4. Manter um ambiente e um clima organizacional adequados;
  5. Valorizar o funcionário com uma remuneração justa;
  6. Oferecer oportunidades de crescimento pessoal e profissional.

Seguindo essas práticas e contanto com o apoio de uma consultoria em RH, você pode fazer muito mais pelo time do seu estabelecimento, incentivando o crescimento de todos.

Gostou do conteúdo? Então continue lendo o blog da BWA!