ESG é o futuro das empresas

Conheça essa tendência que já faz parte das organizações

Se você é uma pessoa antenada, já deve ter escutado o termo ESG em algum congresso ou reunião de empresas. O termo é a sigla para environmental, social and governance, ou ambiental, social e governança em português.

Essas três palavras são na verdade pilares nos quais as organizações devem se pautar para continuarem relevantes no futuro. A palavra-chave é responsabilidade. Ou seja, é preciso agir de forma responsável em relação ao meio-ambiente, à sociedade e à administração da empresa. 

Confira cada pilar separadamente.

Environmental: responsabilidade ambiental 

Questões relacionadas ao meio-ambiente são cada vez mais relevantes. A COP26, 26ª Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre o Clima, prova que esse assunto já é uma realidade discutida entre as maiores nações do mundo.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, aponta que as mudanças climáticas já são uma questão de vida ou morte para alguns. Isso mostra um pouco sobre o porquê esse assunto é tão importante.

Uma empresa que deseja se destacar no mercado precisa ter em mente que preservar o planeta é um dever, mas também pode trazer bons resultados para organização.

Social: o impacto na vida em sociedade 

Nesse ponto, é importante ter em mente que por trás de todo CNPJ existem CPFs. Pode ser que a sua empresa seja só você, ou que você tenha outras centenas de funcionários, mas sempre nos relacionamos com outras pessoas. 

Entender que é preciso reconhecer o papel de uma organização na vida social é de suma importância nos dias de hoje. Isso pode fomentar ações sociais no entorno, promover a satisfação dos clientes, respeitar as leis trabalhistas e os direitos humanos ou manter um bom relacionamento na comunidade em que se localiza. 

Governance: administração consciente 

Nos dias de hoje, a empresa precisa caminhar de acordo com a transparência e a ética. Nesse sentido, a governança norteia como a administração deve tomar as decisões da rotina da organização. 

Manter canais de comunicação para críticas, sugestões e denúncias, manter as informações disponíveis com clareza, ter políticas de inclusão e diversidade são algumas das possibilidades que envolvem esse tema.  

O futuro começa agora

Quando falamos de uma tendência para o futuro, estamos na verdade falando sobre ações que já acontecem no presente em menor volume, mas que devem estourar futuramente. Esse é o caso da ESG.

Empresas que não se adaptarem, provavelmente vão perder espaço no mercado. A Sustentabilidade, por exemplo, é a maior preocupação entre os jovens segundo relatório “Better Living Program”. 

A diversidade também é crucial. Segundo pesquisa realizada pela Pulses, 33% dos colaboradores entrevistados não encontram ações de inclusão para pessoas com deficiência nas empresas. O número é significativo já que no Brasil, estima-se que existam 17,3 milhões de pessoas com deficiência, como revela o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Por isso, apesar de ser uma tendência, a verdade é que essas pautas estão atrasadas e as empresas correndo contra o tempo. A ESG ajuda a nortear aquelas organizações que querem se manter relevantes e já entenderam que o seu impacto vai além do lucro. 

Além disso, vale ressaltar que ações enquadradas na ESG também servem como forma de fortalecer a imagem da empresa, a relação com os trabalhadores e a eficiência nas metas estabelecidas, o que pode trazer bons resultados.

Assim, o planeta, a sociedade e a empresa conseguem se desenvolver da forma mais saudável possível e com equilíbrio. 

Para se manter atualizado, acompanhe o Blog BWA Global. 

Gostou do conteúdo? Então continue lendo o blog da BWA!

pt_BRPortuguese